O Estado do Ransomware na Fabricação e Produção 2021

Explore a realidade do ransomware no setor com menos probabilidade de pagar o resgate

Nosso novo relatório The State of Ransomware in Manufacturing and Production 2021 revela que as empresas neste setor são as menos propensas a se submeter a um pedido de resgate e as mais propensas a restaurar dados criptografados de backups de todos os setores pesquisados. Apenas 19% das organizações cujos dados foram criptografados pagaram invasores para descriptografar seus arquivos, em comparação com uma média global de 32%.

O relatório é baseado nas conclusões de uma pesquisa independente com 5.400 tomadores de decisão de TI, incluindo 438 no setor de manufatura e produção, realizada no início de 2021.

Técnicas de ataque em evolução

No geral, 36% das organizações de manufatura e produção pesquisadas foram atingidas por ransomware no ano passado, o que está em linha com a média global de 37%. Felizmente para este setor, 68% daqueles cujos dados foram criptografados conseguiram restaurá-los usando backups, uma taxa bem acima da média global (57%). Essa alta capacidade de restaurar dados de backups permite que muitas empresas recusem as demandas do invasor, resultando na baixa taxa de pagamento de resgate.

9% das vítimas de ransomware foram atingidas por ataques baseados em extorsão, uma técnica de pressão em que os invasores não criptografam arquivos, mas ameaçam vazar informações roubadas online se o pedido de resgate não for pago. Essa taxa de extorsão é superior à média global de 7% e também pode estar ligada ao alto uso de backups, que força os adversários a encontrarem outras formas de ganhar dinheiro com as vítimas.

Chester Wisniewski, principal cientista de pesquisa da Sophos, informa que “os backups são vitais, mas não podem proteger contra esse risco, portanto, as empresas de manufatura e produção não devem confiar neles como uma defesa anti-extorsão. As organizações precisam estender suas defesas anti-ransomware combinando tecnologia com a caça de ameaças lideradas por humanos para neutralizar os ataques cibernéticos avançados liderados por humanos. ”

O custo do ransomware

O custo geral para as organizações de manufatura e produção se recuperarem de um ataque de ransomware no ano passado foi, em média, US$ 1,52 milhão. Embora seja uma soma muito considerável, é inferior à média global de US$ 1,85 milhão. Novamente, a capacidade de restaurar dados de backups contribuirá para manter os custos de recuperação baixos.

Medos para o futuro

Embora as empresas de manufatura e produção mostrem boa resiliência diante do ransomware, a pesquisa revelou que elas têm a maior expectativa de um ataque futuro de todos os setores. Dos entrevistados que não foram atingidos por ransomware no ano passado, 77% esperam ser atingidos no futuro. A sofisticação e a prevalência do ransomware são os principais fatores que impulsionam essa preocupação.

Um setor fortemente impactado pela pandemia

As equipes de TI na manufatura e produção foram severamente afetadas pelos desafios de 2020. Este setor era o menos propenso a experimentar uma diminuição na carga de trabalho de segurança cibernética em 2020: apenas 7% disseram que sua carga de trabalho cibernética diminuiu, contra uma média global de 13%. Ele também teve o menor número de entrevistados que notou um tempo de resposta melhorado para casos de TI (15% contra uma média global de 20%). O lado bom é que as habilidades cibernéticas também aumentaram, com 71% dos entrevistados afirmando que a capacidade de sua equipe de desenvolver ainda mais o conhecimento e as habilidades em segurança cibernética aumentou em 2020.

Saber mais

Baixe o relatório completo para explorar a realidade do ransomware na fabricação e produção. Também inclui recomendações de especialistas da Sophos para minimizar o impacto do ransomware no futuro.

Newsletter

Insira seu endereço de e-mail abaixo para receber novidades

Deixar uma resposta